Google
 

segunda-feira, 19 de março de 2007

Atlético do Cacém - 2 O Elvas - 1


Fotos por Nuno Gaspar http://accacem.planetaclix.pt

Cristo não chegou e fez-se justiça.

O jogo adivinhava-se díficil contra um adversário que necessitava de pontuar para fugir á zona de despromoção. O At. do Cacém entrou em campo com o seu onze base e desde logo a criar perigo por Hélder Clara e Casquinha. Não conseguindo pegar no meio campo assistiu-se a um jogo aos repelões com muita bola pelo ar o que beneficiou a equipa do Elvas, um futebol incaracterístico ao qual o Cacém não está habituado. Criando o Elvas algumas oportunidades de perigo sempre por Vidigal.
Percebendo isso Pedro Valido mexeu na equipa e de uma assentada fez entrar David e Renato para os lugares dos desinspirados Fragata e Rui Alves. E logo de seguida não foi surpresa o golo obtido pelo veterano Vidigal aos 35 minutos, que não desperdiçou uma falha de Paulo Jorge. Mas foi de pouca dura os festejos pois no minuto seguinte Renato com o seu apurado faro pelo golo marcou o tento do empate a passe de Casquinha, pondo justiça no resultado.

Para os segundos 45 minutos Valido trocou Hélio por Afonso de modo a definitavamente segurar o meio campo. E a segunda parte foi praticamente toda jogada com o Cacém no meio campo da formação de Elvas, à excepção de algumas incursões do pequeno e forte Vidigal.
As jogadas de perigo sucediam-se, inclusive um lance em que após remate de Kadu, e consequente defesa do guarda-redes elvense para a frente Renato recarga para mais uma defesa do mesmo e por fim Casquinha remata por cima. O sufoco continuou com Kadu, David e Pedro Andrade a criar perigo e a obrigar o guardião elvense João Cristo a muito trabalho e de qualidade.
Por fim aos 60 minutos a reviravolta, canto do lado direito marcado exemplarmente por Hélder Clara e Casquinha a finalizar, voltando assim aos golos. Após o 2-1 o jogo entrou no controlo do Atlético do Cacém, não conseguindo o Elvas dispor de grandes hipóteses de empatar a contenda.
O árbitro Nuno Filipe do Algarve, não agradou a nenhuma equipa e complicou um jogo fácil de dirigir, para quando explicarem aos árbitros que dirigir jogos não é dar concertos de apito.

Num jogo que se adivinhava díficil a nossa equipa conseguiu dar a volta graças ao seu crer e á visão do treinador Pedro Valido com substituições acertadas na altura certa o que calou a voz a alguns sócios profetas da desgraça.
Temos a certeza que na díficil deslocação ao campo do primeiro classificado o Cacém trará um óptimo resultado.

Força Cacém.

1 comentário:

Paulo disse...

Vamos à subida!!
Força Cacém!!